Total de visualizações de página

PLACA NA ESTRADA DE CONCEIÇÃO DA BOA VISTA NAS PROXIMIDADES DO COLINA CLUBE

PLACA  NA ESTRADA DE CONCEIÇÃO DA BOA VISTA NAS PROXIMIDADES DO COLINA CLUBE

terça-feira, 8 de dezembro de 2009

A MATERNIDADE TEREZINHA DE JESUS

Como meus dois primeiros filhos nasceram na antiga Maternidade Terezinha de Jesus no bairro São Mateus em Juiz de Fora-MG, resolvi postar o artigo escrito por Márcia Martins no Diário Mercantil. Não tenho informações do dia e ano em que foi publicado.

A HISTÓRIA DE UMA MATERNIDADE

Primeiro de dezembro de 1925. No salão nobre da Escola de Pharmacia e Odontologia eram 19h30m , quando um grupo de 15 homens se reuniu em sessão presidida pelo Monsenhor Doutor Domicio Nardy. Estava fundada a Maternidade Santa Terezinha de Jesus para atender à mãe pobre.
Neste mesmo ano o livro de ata registrava: "Os senhores da sociedade se dividiram em comissões para angariar donativos para a Fundação e conseguiram donativos que já sobem a 20 contos de réis. Esta determinação da comunidade de levar em frente a obra filantrópica permitira que no mês seguinte, já em janeiro de 1927, fosse instalada a Maternidade no prédio número 914 da Avenida 15 de Novembro (Getúlio Vargas)".
À inauguração estiveram presentes o doutor João Penido Filho, representando o Presidente do Estado Antônio Carlos Ribeiro e demais autoridades da Comarca.. A benção das instalações, pré-requisito indispensável para o funcionamento da maternidade, foi dada por Dom Justino José de Santana.
A Maternidade Terezinha de Jesus foi criada e mantida unicamente com donativos do povo, e colhidos de casa em casa. Augusto Gonçalves da Silva, um dos fundadores foi uma figura folclorica que ia de casa em casa pedindo ajuda para manter o estabelecimento. Durante muitos anos foi ele quem registrou todas as crianças nascidas na Maternidade.
A primeira paciente foi internada já na primeira semana de funcionamento. Era uma mãe solteira, de 19 anos que entrou no dia oito tendo alta somente no dia 24. A criança foi batizada com o nome de Therezinha de Jesus.
1928 - "No dia dois de outubro foi realizada a Festa das Rosas em benefício desta maternidade. Numerosas moças de nossa sociedade percorreram as ruas da cidade vendendo rosas".
Três mais tarde a Maternidade foi transferida para sede própria, inaugurada em setembro de 1931 na Rua São Mateus, 476. O prédio foi doado pelo governo do Estado de Minas Gerais. Era a antiga escola de São Matheus reformada e adaptada às exigências da Maternidade.
Até aquele ano já haviam sido registradas 443 internações. O hospital atendia a pacientes de ginecologia e obstetricia, sendo que na primeira especialiade foram atendidas apenas 26. O corpo médico, cirúrgico era composto por Dirceu de Andrade, falecido ha pouco tempo e Olavo Lustosa (homenageado há meses atrás pelos seus 50 anos de profissão).
Na sede de São Matheus foram realizadas 72 mil e 247 internações com 64 mil e 515 partos, o que representa um quinto da população atual de Juiz de Fora.
Em 1955 o livro de ata voltava a registrar: "Este ano a Maternidade construiu um galpão anexo onde instalou uma Lavanderia Elétrica. Este conjunto foi alugado a Obra Social "Nossa Casa" mais tarde, "Santa Mônica", destinada a amparar mães solteiras. A obra foi fundada por Marilia Teixeira Leite de Andrade mãe do atual diretor da Maternidade, Amaury Andrade".
Vale citar aqui, as 15 figuras que lideraram a criação da Maternidade: José Procópio Teixeira, Senador José Luiz do Couto e Silva (falecido), Edgard Quinet de Andrade Santos (falecido), Coronel Antonio Caetano de Andrade (avô do atual diretor), Augusto Gonçalves da Silva, José Dirceu de Andrade (falecido) e o secretário da sessão Renato de Andrade Santos. O Coronel Alfredo de Souza Bastos, José Bernardino Alves, João Bernardino Alves, Augusto Botelho Junqueira, Renato de Andrade Santos, Coronel José Rafael de Souza Antunes , Adhemar Rezende de Andrade (ex-prefeito) e Novantino Alves, eleito recentemente membro da Academia Mineira de Medicina.
Depois de instalada em São Mateus a Maternidade se expandiu adquirindo áreas anexas, como na esquina da Padre Café onde funcionou durante algum tempo um Lactário e ultimamente funcionava a Avenfam - que promove o controle familiar - além do terreno na Avenida Independência onde passou a funcionaar no dia oito de janeiro de 78.
A antiga Maternidade já não atendia às nossas necessidades comenta o diretor Amaury de Andrade. A rede física (2.250 metros quadrados de área) não comportava a expansão com o aumento anual de 500 pacientes. O prédio à Rua São Mateus começou a ser demolido para aproveitamento do material que será vendido para ajudar, no pagamento do novo edifício - cinco mil metros de área construída, com 14 mil metros de terreno. Agora o terreno éeo que restou do prédio aguardam uma solução.
A construção da atual Maternidade já dispensou, no entanto, a participação de donativos do povo. Foi possível através de recursos próprios. O estabelecimento vive hoje do faturamento das classes particulares que permite o atendimento aos indigentes (pessoas que não possuem instituto).
A Abenfam continua funcionando no prédio novo e a Casa da Mãe Solteira "Obra Santa Mônica" também não será extinta. É uma entidade que lava parte da roupa da Maternidade, sendo as internações atendidas nomalmente na época do parto.

sábado, 5 de dezembro de 2009

sexta-feira, 2 de outubro de 2009

FESTA JULHINA NA ACADEMIA - JUIZ DE FORA/MG


Meu neto Pedro se divertindo no pula-pula com sua prima Julia.

TIRADENTES -´MG

Meu neto Pedro fazendo turismo em Tiradentes com seus pais e sua avó coruja.













quinta-feira, 1 de outubro de 2009

MERCAD'ANTES & DEPOIS





Foi fundada em26/05/1995 por Mário Mercadante (falecido) - Editor e Redator Ernesto Mercadante Lima - Colunistas: Sylvia Mercadante - Correspondente em São Paulo Therezinha de Jesus Mercadante de Lima - Colaboradores: todos os ramaos Mercadante e demais familiares a estes ligados pelo matrimônio. Com a morte de Mario Mercadante Ernesto Mercadante Lima assumiu o desafio - e deu conta da missão - de editar nossa revista.
Com esta edição estamos encerrando a publicação deo Mercad'Ante & Depois. Agradecemos todo apoio e incentivos recebidos de nossos queridos parentes, e nos colocamos a inteira disposição de quem nos queira substituir.
Ultimo Editorial
Infelizmente esta última Edição do M & D trás muita tristeza, não só pelo anúncio de seu encerramento, como principalmente pelo falecimento de mais três queridos parentes.
O encerramento agora se torna inevitável, não só pelos anos de idade que este Redator vem acumulando, mas também pela progressiva dificuldade de visão, provocada pelo inexorável evolução da "degeneração senil da mácula".
Foram 14 anos de dedicação com o único propósito da divulgação e congraçamento da familia. Sem visar lucro material, mas com a alegria de ver. (Ernesto Mercadante)
Caro primo Ernesto. Quantas alegrias você nos deu. Você faz parte da história da familia Mercadante. Como diz o apóstolo Paulo você "combateu o bom combate". Fico triste com o encerramento da nossa Revista mas ao mesmo tempo orgulhoso. A familia Mercadante sente orgulho de você. Quantas matérias importantes foram publicadas! Sem falar no seu trabalho árduo de fazer a árvore genealógica da nossa família. A consciência tranquila do dever cumprido será sua companheira. Quantos parentes conhecemos na M & D através de artigos, e-mails e fotografias no Album de Familia?

NA FOTOGRAFIA A ESQUERDA ERNESTO MERCADANTE LIMA(82 ANOS) ESTÁ DE CAMISA AZUL NA COMEMORAÇÃO DO ANIVERSÁRIO DA THERRY.

segunda-feira, 28 de setembro de 2009

ZENI NAVARRO MARTINS

(1934-2009)
Fotografia tiradada no Carnaval de 2000 em Recreio-MG. Ao lado da Zeni meu filho Cristino fantasiado de mulhar. Idéia da Zeni, que se encarregou de fazer a maquiagem. Era uma pessoa alegregre, gostava de carnaval e foi casada, com meu cunhado, José Peres Martins. Do casamento nasceram Adonai (falecido), Andiara e Anderson. Todos se casaram.

terça-feira, 22 de setembro de 2009

PADRE HIGINO RICARDO LATTECK

Fotografia tirada em 15 de dezembro de 1974 na cerimônia do meu casamento.

PADRE HIGINO RICARDO LATTECK

Fotografia tirada em 15 de dezembro de 1974 na cerimonia do meu casamento

sábado, 8 de agosto de 2009

INAUGURAÇÃO DO PRÉDIO DOS CORREIOS


Almoço realizado na Associação Comercial de Recreio como parte das festividades de inauguração do novo prédio do Correio, durante o governo do Prefeito Geraldo Damasceno de Almeida.

sexta-feira, 24 de julho de 2009

PADRE HIGINO RICARDO LATTECK


PADRE HIGINO COM O APOSTOLADO DA ORAÇÃO NA IGREJA MATRIZ DE RECREIO

Pe. Higino, frade fransciscano, nasceu em Instgerburg-Prussia/Alemanha em 31 de março de 1905 e faleceu em 02 de setembro de 1983. Filho de José Latteck e Anna Hanshatter. Estudou no Convento dos Franciscanos em Fulda na Alemanha onde ordenou-se padre franciscano em 27 de abril de 1930. Foi Missionário na Alemanha, Suiça e Iuguslávia no período de 1930 a 1940. Chegou ao Brasil em 06 de junho de 1940 no sul de Mato Grosso, fugindo do anticlericarismo nazista que se implantou na Alemanha. Por pertencer a Ordem dos Franciscanos passou a ser perseguido pelos nazistas e se tornou prisioneiro político sendo levado para um campo de concentração. Lá sofreu os piores horrores daquela triste guerra. Naquele horrendo campo de concentração tinha que andar sem camisa, pois suas costas estava toda cortada e arranhada. Este era o resultado dos castigos pelas inúmeras tentativas de fuga. Apesar dos castigos Frei Higino lutava ferozmente pela sonhada liberdade. Era preciso continuar seu trabalho de sacerdote. Seu irmão se tornara um dos sargentos da guarda civil alemã naquele campo e também era Maçom. Vendo o sofrimento do seu irmão providenciou junto aos irmãos maçons passaportes para ele e seu inseparável amigo Pe. Giuliano para que, appós a fuga pudessem embarcar sem serem perseguidos. E assim os dois embarcaram como passageiros comuns rumo à sonhada liberdade. Foi o primeiro Vigário residente de Dourados de 1940 a 1947. Conforme Inez Maria Bittencourt do Amaral, em sua dissertação de mestrado ENTRE RUPTURAS E PERMANÊNCIA - A Igreja Católica na região de Douras de 1943 a 1971, apresentada do Curso de Pós-gradua em História da Universidade Federal do Mato Grosso do Sul. Em 1939 foi grande a saida de franciscanos da Alemanha devido a luta anticlerical chamada de culturkampf, política do partido nazista quando controlou totalmente o estado germanico em 1939. A emissão de passaportes ficou prejudicada, conventos foram fechados e muitos padres foram presos. Em Dourados a construção da primeira capela foi iniciada em 1925. A imagem de Nossa Senhora da Conceição, trazida da França, foi levada em procissão até a capela em oito de dezembro desse mesmo ano. Os apelos da comunidade para que a Paróquia de N.S. da Conceição tivesse um padre residente foi atendido com a posse de Frei Higino Latteck em 1940. Até a construção da residência paroquial,ao lado da capela, esse padre se hospedou na casa de dona Antonia Capilé. Ele se empenhou ferrenhamente para mudar o cenário religioso local, embora com muitas dificuldade, pois era alemão e não falava uma palavra em português; foram as familias católicas que o ensinaram em suas casas. Frei Higino celebrava as Missas e depois perguntava aos mais próximos a ele se havia errado alguma coisa. Em suja luta, encontra-se o apele feito ao Comissariano Franciscano para a vinda das Irmãs de caridade para Dourados, no intuito de que assumissem a catequese nas escolas, o cuidado com os doentes e a expansçao do catolicismo. Entre as propostas encontrava-se a criação de escolas primárias para ambos os sexos e a criação de um internato para as meninas. A proposta esbarrava em dois grandes entraves: encontrar Irmãs que quisessem vir para a região e a Lei de Ensino Brasileira, do governo Vargas, que não permitia a contratação de professores estrangeiros, há não ser que os mesmos já residissem há vários anos no Brasil e passassem por um rigoroso teste de Lingua Portuguesa.
Em 1942 vieram três Irmãs Franciscanas Bernadinas para Dourados. A época não era propícia para o trânsito de estrangeiros, em virtude da Segunda Guerra Mundial. Hou também dificuldades das freiras na renovação dos seus registros de professoras. Sobre a chegada das religiosas Frei Higino escreveu: "o dia dezenove de agosto foi um dia da benção divinal. Chegou, pois, o meu auxiliar muito desejado, o Frei Shaefer. Chegaram, que sorte, três freiras franciscanas destinadas ao ensino das crianças". Em primeiro de setembro as Irmãs Franciscanas abriram o seu colégio na casa das escolas reunidas que o senhor Prefeito benignamente arranjou para este fim. O número de primeiros alunos foi vinte e seis. Além das inúmeras dificuldades enfrentadas pelos padres e freiras em Dourados, dois deles sofreram constrangimento por parte da polícia local. Assim relatou Frei Higino: "Nós fomos denunciados de sermos espiões políticos no serviço do Nazismo na Alemanha (Nazismo é o governo da nossa terra, cuja doutrina pagã está condenada pelo Senhor Papa e cujos algozes são e eram os inimigos ferozes da Igreja Católica). Duraram sete semanas a nossa prisão, em que podíamos, graças ao bom Delegado de Polícia, rezar a santa missa. O Diabo e seus instrumentos, os caluniadores trabalham, mas é Deus que manda no mundo". O caso relatado que envolveu os dois padres franciscanos Frei Shaefer e Frei Higino Latteck, levou-os a uma detenção vigiada, ou seja permitiam-se que saissem e exercessem suas funções religiosas até 02 de junho de 1942. Esse fato deveu-se ao fato de que esses dois religiosos portassem uma arma durante suas visitas nas redondezas de Dourados e terem sido revistados por policiais. No entanto havia ocorrido um episódio anteriro de denuncia contra Frei Higino. Este costumava tirar uma série de fotografias da região em suas andanças no lombo de um burrinho, o que serviriam para o envioà Turíngia no intuito de obtenção de apoio financeiro para o seu trabalho na região. Algumas pessoas, que desconheciam essa finalidade, confundiram-no como um membro da Gestapo infiltrado no Brasil como espião. Em virtude dessas perseguições, da falta de verbas e da estrutura local, as Irmãs decidiram fechar a escola e sair de Dourados. As Irmãs foram difamadas por certas pessoas católicas que dizendo que eram espiãs, não tinham licença para lecionar, não ensinavam de acordo com o regulamento e não falavam bem o português. Diante do fato assim se manifestou Frei Higino: "Nunca mais, enquanto eu, frei Hygino, for vigário estabelecer-se-ão aqui freiras".
De 1947 a 1955 foi Vigário em Recreio-MG. De Recreio foi para Friburgo-RJ tendo sido Vigário e Capelão dos alemães no período de 1955 a 1968. De Friburgo foi para Itaperuna-RJ, sendo vigário de 1968 a 1973 da Paróquia N.S. do Rosário de Fátima. Em 1973 retorna para Recreio-MG como Vigário onde ficou até 02 de setembro de 1983, quando faleceu. Foi sepultado no Cemitério de Recreio.
Naturalizou-se brasileiro com o nome de Pe. Higino Ricardo Latteck. Lecionou na Faculdade Santa Marcelina de Muriaé-MG, Filosofia e Cultura Religiosa na década de 1970.
Por que Pe. Higino veio para o sul de Mato Grosso? Em 1939 foi grande a saida de franciscanos da Alemanha devido a luta anticlerical pela chamada de Kulturcampf, política do partido nazista que controlou totalmente o estado germânico em 1939. A emissão de passaportes ficou prejudicada, conventos foram fechados e muitos frades foram presos. As despedidas deixaram de ser solenes para não chamar a atenção da Gestapo, a polícia secreta do estado alemão, responsável por vigiar igrejas, seitas, judeus e "pessoas de cor". As comunicações entre a Alemanha e o Brasil foram interrompidas quando o Brasil entrou na guerra contra a Alemanha. Foi a estrada de ferro que trouxe os missionários alemães e boa parte dos materiais de construção para Campo Grande.

OS PRIMEIROS FORMADOS PELA E.E. "OLAVO BILAC"


quinta-feira, 23 de julho de 2009

CASARÃO DOS MELIDOS

Hoje demolida e em seu lugar foram construídas várias casas. Ficava localizado do lado esquerdo da atual Praça Américo Simão para quem sobe a Ladeira Guimarães.

PARADA DE 7 DE SETEMBRO DE 1959

Desfile dos alunos do Ginásio de Recreio na Parada de 7 de Setembro de 1959

PRIMEIRAS NORMALISTAS DO COLÉGIO DE RECREIO

Sessão Solene de Colação de Grau da primeira turma do Curso Normal do Colégio de Recreio-CNEC realizada no dia 20 de dezembro de 1969

PRIMEIROS CONTABILISTAS DE RECREIO

Solenidade de colação de grau da 1ª turma de Contabilistas do Colégio Comercial de Recreio ( Colégio de Recreio - CNEC), em 20 de dezembro de 1969.
Patrono: Hudson Cunha - Diretor
Paraninfo: Dr. Geraldo Damasceno de Almeida - Professor
Formandos: Adenísia de Castro Dutra, Adilson Ferreira de Almeida, Cecília Regina Magalhães Leite, Ciléa Felizarda Brito Lima, Edy Cerqueira Leite, Eliana Coimbra de Almeida, Elizabeth Ferreira Vicente, Esther Lima Nogueira, Evilázio José Pereira Pina, Ezilma Brito Lima, Geraldo Lopes, João Abraão Viana, João Batista Costa Malta, José Mauro Xavier de Morais, José Reinaldo Campos Ferreira, Manoel Geraldo Costa, Maria das Graças Padilha Lopes, Márcio Albuquerque, Marco Antonio Werneck de Freitas, Marilane Barbosa Fioreze, Marisa Buonincontro Meireles, Paulo José Duarte, Paulo Rubens Rodrigues de Souza, Rachel Eleonor Carneiro, Rogério Vicente Reiff, Ronaldo Vicente Reiff, Raul Wendling Duarte, Walter Fernandes Pena, Welcy Jorge Brum e Vilma Helena Vieira Coelho.

RECREIO ESPORTE CLUBE

RECREIO ESPORTE CLUBE

RECREIO ESPORTE CLUBE - 1975

RECREIO ESPORTE CLUBE

RECREIO ESPORTE CLUBE

RECREIO ESPORTE CLUBE - 1975

Foto tirada em 26 de julho de 1975
EM PÉ: Tito, Joãozinho, Zé Firmino, Juscelino, Nem e Jurinha.
AGACHADOS: Gabriel, Zalas, Márcio Heleno, José Antonio e Daú

DEDINHO

Dedinho, grande jogador e técnico do Recreio Esporte Clube. Na foto comandando o treinamento da equipe. Integrava o famoso trio: Zé Pretinho, Peres e Dedinho.

RECREIO ESPORTE CLUBE - 1976

Fotografia tirada em 25 de janeiro de 1976

RECREIO ESPORTE CLUBE - 1977

Sentido horário
EM PÉ: Zé Galvão, Biica, Vanizinho, Caial, Pitico e Antonio Carlos
AGACHADOS: Nem, José Antonio, Pilo Lobo e Zé Antonio (laranjal)

quarta-feira, 22 de julho de 2009

PARADA DE 7 DE SETEMBRO


Participação do Ginásio de Recreio na Parada de 7 de setembro de 1960. Em destaque Hudson Cunha a direita

JUVENIL DO RECREIO ESPORTE CLUBE

Partida realizada em 1957 contra o Porto Novo terminando em 2 a 2.
Sentido horário:
Em pé: Darci, Dadica, Jurinha, Hudson e Bolinha
Agachados: Rubens, Magno, Chiclete , Darinha e Jorge

BOTAFOGUINHO DE RECREIO

Sentido horário
De pé: Betoca, Lobinho, Hudson, Bié, Cerico, Virmaninho e Bolinha.
Agachados: Airton, Delquice, Paulinho, Zé Garrinha e ?

RECREIO EC E FLUMINENSE

No início dos anos 60(talvez 61 0u 62) o Fluminense com seu time principal (faltou apenas o goleiro Castilho que estava machucado) esteve em Recreio-MG onde jogou contra o Recreio Esporte Clube no Estádio Euvaldo Loide. Na foto em pé o time do Recreio e agachados o Tricolor das Laranjeiras. Placar: 15 x 0 para o Fluminense. Quem trouxe o time principal do Fluminense foi o Waldir Comissário que era tricolor de carteirinha. Contam que quando a delegação do time carioca chegou ao lado do Bar Oriente, alguns torcedores manifestaram seu descontentamento com a ausência do grande arqueiro Castilho. Os jogadores ficaram aborrecidos e vingaram no placar uma vez que tinha sido combinado apenas uma exibição.

BAILE DE FORMATURA DO CURSO GINASIAL

Hudson Cunha dançando a valsa com sua irmã Elizabeth na Associação Comercial de Recreio, ao som da Orquestra "Eldorado" de São João Nepomuceno-MG. O baile foi realizado no dia 11 de dezembro de 1960. Foi a primeira turma de ginasianos do Ginásio de Recreio.

ENTREGA DOS DIPLOMAS

Huson Cunha recebendo o diploma de conclusão do Curso Ginasial das mãos do Professor e Inspetor Federal David Vieira Germelo. A solenidade aconteceu na Associação Comercial de Recreio no dia 11 de dezembro de 1960.

PRIMEIROS FORMANDOS DO GINÁSIO DE RECREIO

Fotografia tirada em 07 de setembro de 1960
No sentido horário:
EM PÉ: Frederico, Luiz Carlos, Cizinha, Jurandyr, Nilza, Regina, Silvia, Auxiliadora, Zima, Ana Maria, Sonia e Terezinha.
AGACHADOS: Paulo Sérgio, José Coimbra, Sebastião Anselmo, Welber, Rafael, Hudson e Ronaldo.

PRIMEIROS CONCLUINTES DO CURSO GINASIAL DO GINASIO DE RECREIO

Os Quartanistas de 1960 pelo Ginásio de Recreio têm a insigne honra de convidar V. Excia. e Exma. Fam´lia para assistirem as solenidades de sua formatura a serem realizadas no dia 11 de dezembro do ano cursante.

Paraninfo
Exmo. Sr. Prof. José Marcos da Silva Britto

Homenagem de Gratidão e Apreço
Pe. Celso Campos Sales, 1° Diretor do Ginásio de Recreio

Homenagens Especiais
Exmo. Sr. Ministro da Educação Prof. Dr. Clovis Salgado da Gama
Exmo. Sr. Inspetor Seccional do Ensino Secundário Dr. Manoel Lamas de Andrade
Exmo. Sr. Técnico da Fundação Recreiense de Ensino Prof. João Barroso Junior

Homenagens
Aos Funcionários da Administração
Inspetor Federal Exmo. Sr. David Vieira Germelo

AOS NOSSO PAIS
A Vós, que tendes a ventura de ver atingido este ideal, por vossas preces, dedicação,. abenegação e sacrifício, oferecemos nossa singela homenagem, com o coração reconhecido de filhos e a nossa eterna gratidão.

Aos inesquecíveis Mestres, que com imensos sacrifícios se tornaram artífices e sustentáculo de nossa formação moral e intelectual, nossos profundos agradecimentos.

PROFESSORES
Sr. David Vieira Germelo
Sr. Fernando Dolabella Massa
Sr. Jacy de Paula Lacerda
Sr. José Marcos da Silva Britto
Sr. Wadson Soares Brum
Sra. Lia Albuquerque Monteiro
Sra. Maria de Castro Gama Lima
Sra. Nice Damasceno Muniz

EX-PROFESSORES
Pe. Celso Campos Sales
Sr. Pedro Augusto Martins
Sra. Cacilda Gesualdo Perry
Srta. Iria Guilherme Ferreira
Srta. Ivone Henriques da Silva

GINASIANOS
Ana Maria Gesualdi Reiff
Antonio Magno Soares de Almeida
Aracy Ferreira de Castro
Fredcerico Antonio M. Andries
Hudson Cunha
Joaquim Márcio Soares de Almeida
José Gomes Coimbra
Jurandy U. de Freitas
Lui Carlos Ferreira Dorigo
Maria Auxiliadora Chagas
Maria Regina Albuquerque
Nilza Moreira
Paulo Sérgio M. Andries
Rafael de Castro Lima
Ronaldo Fernandes Cardoso
Sebastião A. Nunes Pandeló
Silvia Simão da Silva
Sonia Simão da Silva
Terezinha Helena de Castro Santos
Welber Paulo Brum
Wilson Moreira
Zima de Paula

PROGRAMA
Dia 11 de dezembro
7 horas: Santa Missa Solene celebrada na Igreja Matriz oficiada pelo Exmo. e Revdmo. Sr. Pe. Celso Campos Sales.
15:30 horas
Sessão Solene de Entrega dos Diplomas na Associação Comercial.
Oradores da Turma: Jurandy Uffer de Freitas e Ana Maria Gesualdi Reiff
22 horas
Noite de Despedida, no salão de danças da Associação Comercial de Recreio ao som da famosa Orquesta "Eldorado" de São João Nepomuceno.
Traje: Passeio completo (Convite Especial)

Agradecimentos especiais:
Ao Revedmo. Sr. Pe. Celso Campos Sales e ao Exmo. Sr. Dr. José Antonio Monteiro de Barros, batalhadores incansáveis pela fundação do Ginásio de Recreio.
Aos Srs. Doadores da Fundação Recreiense de Ensino , que possibilitaram a criação do nosso Ginásio.
A todos os que, acom abnegação, desprendimento e espírito altruístico, contribuíram direta ou indiretamente em favor do Ginásio de Recreio.
QUE DEUS LHES RECOMPENSE!



domingo, 5 de julho de 2009

CASAMENTO DA MINHA FILHA

No dia 20 de junho de 2009, às 11 horas, na Igreja São Sebastião, em Juiz de Fora,MG, conduzi minha filha Maria Fernanda Peres até o altar onde a aguardavam seu noivo Edson e o celebrante Frei José Maria OP. Foi uma cerimônia muito bonita com a presença dos amigos, parentes e os pais dos noivos.

terça-feira, 30 de junho de 2009