Total de visualizações de página

PLACA NA ESTRADA DE CONCEIÇÃO DA BOA VISTA NAS PROXIMIDADES DO COLINA CLUBE

PLACA  NA ESTRADA DE CONCEIÇÃO DA BOA VISTA NAS PROXIMIDADES DO COLINA CLUBE

sexta-feira, 19 de dezembro de 2008

QUANDO OS PRIMOS SE ENCONTRAVAM

Fotografia tirada em 1978 na árvore que fica em frente da casa do Zé Peres em Recreio . Sentados na árvore da esquerda para a direita: Ana Cristina, Jeane e Cristiano. Armando Sérgio tentando subir. Nessa época meus filhos, Armando Sérgio e Cristiano, moravam em Juiz de Fora. Ana Cristina, filha do Alaor e Judite, em Recreio. E Jeane, filha do Wanir com Ana Maria, em Campos-RJ. Foi uma época muito gostosa e inesquecível.

QUANDO OS PRIMOS SE ENCONTRAVAM

Fotografia tirada em 1978 no jardim da casa do Zé Peres em Recreio. Da esquerda para a direita sentados: Cristiano e Angeliana. Em pé: Armando Sérgio, Jeane e Ana Cristina.

EM FRENTE A CASA DA TIA APARECIDA

Da esquerda para a direta: Armando Sérgio, Jeane, Angeliana e Cristiano. Fotografia tirada em 1978 em Recreio-MG.

NO JARDIM DA CASA DO ZÉ PERES


Da esquerda para a direita: Cristiano e Marlon. Atrás do Marlon seu primo Armando Sérgio. Foto tirada em 1978 em Recreio - MG>

FÉRIAS EM RECREIO

Da esquerda para a direita: Marlon, Cristiano, Angeliana, Armando Sérgio e Jeane. Fotografia tirada em 1978 no Jardim de Recreio-MG>

FÉRIAS EM RECREIO


Da esquerda para a direita: Marlon Gomes Peres, Jeane Peres Loureiro, Armando Sérgio Peres Mercadante, Angeliana Peres Loureiro e Cristiano Peres Mercadante. Fotografia tirada em 1978 na Igreja Matriz Jesus Menino Deus de Recreio - Minas Gerais.

quarta-feira, 12 de novembro de 2008

ATENEU CACHOEIRENSE NORMALISTAS

Alunas do 3° ano do Curso Normal de 1965 do Colégio Ateneu Cahoeirense de Cachoeiro do Itapemirim. Lenira, minha esposa, é a quinta em pé da esquerda para a direita.

ATENEU CACHOEIRENSE NORMALISTAS 1965



Alunas do 3º ano do Curso Normal de 1965 do Colégio Ateneu Cahoeirense de Cachoeiro do Itapemirim.
Lenira é a quinta sentada da esquerda para a direita.

domingo, 9 de novembro de 2008

PRIMEIRO ANO DO MEU NETO PEDRO


Hoje, dia nove de novembro de 2008, meu neto Pedro fez seu primeiro aninho de vida. Para ele toda a felicidade do mundo.
Este foi o convite distribuído para os coleguinhas, amigos e parentes.

sábado, 25 de outubro de 2008

PÁGINAS DA CARTILHA DE BITU




Não foi fácil conseguir a Cartilha de Bitu. Virei Juiz de Fora de cabeça para baixo. Vasculhei todos os sites que poderiam me levar ao tesouro. Até que a localizei na Biblioteca de Educação da Universidade Ferderal do Rio Grande do Sul. Telefonei e imprimi um exemplar para matar a saudade do ano de l955 quando cursava o 1º Primário com a Professora Dona Iris Henriques. Para os meus colegas de turma uma oportunidade para matar a saudade. Durante 4 domingos
frequentei a feira livre na esperança de encontrá-la. Visitei todos os sebos existentes em Juiz de Fora. Quem estiver interessado em conseguir a Cartilha na íntegra é só entrar em contato que envio via email.






























































sexta-feira, 17 de outubro de 2008

EDITH MERCADANTE



EDITH MERCADANTE
Por Amélia Luz

Edith, coração generoso,
Cheio de ternura e bondade.
Filha de imigrantes italianos
Amava seu sangue abençoado,
Contando histórias fantásticas da família!
Com entusiasmo gostava
De ser na alma, Mercadante!
Todos a estimavam pela fineza no trato,
E se admiravam da sua lucidez
Em mais de nove décadas vividas.
Dedicou-se ao Magistério,
Professora por vocação.
Competente, educou uma geração,
Que deu bons frutos na vida...
Doou-nos muito, enriqueceu-nos,
Com o seu semblante calmo,
Sua grandiosa sabedoria
E sua natural elegância!
Hoje, para ela uma homenagem!
Não cantaremos tristezas, nem choro,
E sim, uma canção de agradecimento.
Pelo prazer da sua convivência conosco.
Saciou-nos com o seu rico manancial
Até seu último instante, equilibrada e lúcida!
Tomamos muito do seu nobre exemplo,
Respeitada pela sua dignidade,
Sua honestidade, sua firme postura!
Edith foi essência na sua existência.
Deixou-nos a meiguice do seu sorriso,
A malícia do seu bom humor,
A inteligência do seu olhar
A grandeza da sua alma nobre.
Sua poesia é recheada de singeleza
E pura inspiração na magia das entrelinhas...
Como uma luz brilhante riscou o firmamento
E depois se apagou aos poucos...
Assim, ouvia atenta a voz divina,
Que finalmente a chamava
Para a morada dos justos
Na mansão da eternidade!
Humilde, curvou-se,
E seguiu o chamado de Deus!
(publicada no Jornal Pirapetinga Informa)

Tia Edith faleceu em Pirapetinga em 27 de julho de 2008 aos noventa e cinco anos de idade. Era irmã do meu pai Armando Mercadante. Agradeço de coração a Amélia a homenagem feita a minha tia.

Em novembro de 2001 Tia Edith fez uma poesia para minha filha Maria Fernanda.

PARA VOCÊ

Minha querida Fernanda

Com muito amor e carinho

Meu coração é quem manda

Prá você estes versinhos.

Você é inteligente

Gaciosa e elegante

É uma autêntica descendente

Da Família Mercadante.

Desejaria na verdade

Oferecer-lhe uma poesia

Mas devido a minha idade

Sinto a cabeça vazia

Perdoe-me minha querida

Se destes versos não gostou

Já estou no fim da vida

A inspiração se esgotou.

terça-feira, 14 de outubro de 2008

O MILAGROSO









Em 1980 c0mprei um Fusca/72. Viu meus filhos crescerem e sempre nos levou todos os anos a Marataizes, Guarapari ou Piúma sem nunca apresentar um defeito. Levou meus filhos ao colégio e foi minha ferramenta de trabalho durante 20 anos quando lecionei em Carmo-RJ e Três Rios-RJ. Era um membro da família. Em outubro de 2008 resolvi vendê-lo. Foi uma decisão difícil e penosa. Vendo ou não vendo? Anunciei no jornal e chuveram telefonemas. Até que um comprador gostou e fechamos negócio. Quando ele me deu o dinheiro minha mão hesitou em pegá-lo. Quase desisti. Hoje quando olho para a garagem sinto sua falta. Tento fazer de conta que nada aconteceu. O nome carinhoso de Milagroso vocês já entenderam o porquê. Foram 28 anos de convivência. Fez parte de muita histórias.

quarta-feira, 1 de outubro de 2008

ÉPOCA DOS LADRILHOS


Na época em que não existiam os letreiros luminosos com seus fabulosos efeitos especiais, o nome do estabelecimento comercial era colocado na calçada em frente a entrada do estabelecimento. Em Recreio ainda existem em alguns locais revestimentos de ladrilhos com os nomes das lojas.
É importante que o poder municipal preserve essa herança maravilhosa do passado não permitindo que o tempo e reformas as destruam para sempre. A Casa Carcacena continua no passeio em frente da antiga loja, o mesmo acontecedo com a Casa José de Castro. O Cine Eldorado fica em frente da atual sede do Recreio EC. Já o Cartório, o restante do nome não existe mais, está localizado onde foi o antigo Banco Hipotecário. Existem outros nomes espalhados por Recreio. Deixo aqui apenas uma amostra e uma pergunta: até quando Recreio deixará seus passado entregue à própria sorte. O que fazem nossas autoridades? O passado é a identidade de um povo.





















quarta-feira, 3 de setembro de 2008

CARTILHA DE BITU


Para meus colegas do Grupo Escolar Olavo Bilac do ano de 1955 da 1ª série do Curso Primário. Foi com esta Cartilha que nossa professora Dona Iris Henriques nos alfabetizou. Alguns trechos da cartilha para matar a saudade: Bitu bate bola. O soldado fica danado. Bitu laça o cavalo. Eu me chamo Bitu. A mana me chama Naná. Bitu de Naná. Naná é mana de Bitu. Bitu mano de Naná. O cavalo e o cachorro. O cavalo se chama Pachola. O cachorro se chama Pachá. O pato e a pata. O pato nada na lagoa. A pata voa.
Olha o palhaço. O palhaço bate o chocalho. O palhaço dá cambalhota. O povo olha o palhaço. Bitu bate bola. A bola bate no cavalo. O cavalo corre. Cavalo bôbo. A bola bate no soldado. O soldado fica danado.

Ateneu Cachoeirense




Em 1965 minha esposa Lenira concluiu o Curso Normal em Cachoeiro do Itapemirim no Ateneu Cachoeirense.
O Colégio encerrou suas atividades em 2007. Conseguimos as fotos ao lado para a posteridade.

terça-feira, 12 de agosto de 2008

XAPANÃ


Final dos anos sessenta e início dos setenta. Na Rua São Joaquim funcinou o Xapanã. Quem não se lembra da Mariquinha fritando aquelas batatas deliciosas e do Lelé recolhendo os cascos de cerveja?

quarta-feira, 9 de julho de 2008

TERCEIRA IDADE

RAIO X DO PÉ ESQUERDO
Minha entrada na Terceira Idade foi emocionante, prá não dizer fulminante. No dia 28 de junho de 2008 quando saía dos Correiros não vi um um buraco e deu no que deu. Cirurgia, pinos e outros tormentos. Hoje completam 35 dias que estou de molho dentro de casa tirando o sossego de minha esposa sem poder pisar com o pé esquerdo. Como nós homens pertencemos ao sexo frágil onde qualquer febrizinha não deixam acamados e carentes de um tratamento vip imaginem a trabalheira que dei! Aos poucos fui aprendendo a andar com uma perna. Tomar banho já tiro de letra. Dia 18 de julho irei ao médico sonhando com uma boa notícia: será que deixarei de ser Saci-Pererê? Será que irei para a Exposição em Recreio para ficar confinado em minha casa? Hoje inicio o treinamento com as muletas.

RECREIO NA ZONA DA MATA

Localização de Recreio na Zona da Mata Mineira.

terça-feira, 27 de maio de 2008

PRIMEIRO DE MAIO EM RECREIO


No dia 1º de maio de 2008 estive em Recreio e aproveitei para passear com meu neto Pedro. As fotografias foram tiradas na Praça dos Ferroviários tendo como fundo a réplica da primeira locomotiva que circulou em Recreio. Só para registro as mãos que estão segurando o Pedro são do Cacá da Zé.

segunda-feira, 26 de maio de 2008

CERÂMICA LUZO-BRASILEIRA DE ESTEFHANEO DOS SANTOS

Durante muitos anos a CERÂMICA LUZO-BRASILEIRA foi um dos símbolos da industria de Recreio. Sua produção de manilhas abasteceu Recreio e várias cidades da redondeza e de outros estados. A máquina de que fabricava as manilhas funcionava a todo vapor. Gostava de ver o barro entrar por um lado e as manilhas sairem pelo outro. Depois eram colocadas no pátio para a secagem com os raios solares antes de serem acondicionadas nos fornos. Hoje as chaminés aguardam o momento que deixarão de pertencer ao presente. Ainda restam poucos vestígios da cerâmica. É o preço que pagamos pelo progresso. Quando as chaminés forem demolidas o terreno será loteado para venda. A Cerâmica Luzo-Brasileira ficará eternizada no passado da nossa Recreio.
















































terça-feira, 18 de março de 2008

segunda-feira, 17 de março de 2008

PEDRO MELLO MERCADANTE







Os avós Lenira e Armando corujando o neto Pedro aos 4 meses de idade.

segunda-feira, 18 de fevereiro de 2008

PE. MAURO E MARIA REGINA






No dia 21 de janeiro de 2008, a Revista Época nos brindou com uma fotografia do Pe. Mauro de Queiroz e sua esposa Maria Regina. O tema foi sobre os padres casados.

Pe. Mauro e Maria Regina, durante sua passagem por Recreio, tiveram uma atuação muito significativa na vida cultura, social e religiosa da nossa cidade. Regina é natural de Recreio e Pe. Mauro de Guidoval. Pe. Mauro durante seu sacerdócio sempre fez uma opção pelos pobres. Pessoa inteligente, introvertida, reflexiva e mística procurava viver o Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo. Regina, professora do Colégio João XXIII e participante dos movimentos de igreja contribuiu de forma significativa para a formação da nossa juventude. Tive a graça de trabalhar com eles. Hoje residem em São Paulo e continuam firmes na fé. "Hoje em dia não é mais possível ganhar a vida rezando com o Povo de Deus. O ministério não é um trabalho. É uma graça de Deus, e dada a muitos, senão a todos. A religião não pode ser um meio de vida, uma fonte de Renda " (Pe. Mauro). "Eu me sentia diminuído, desempregado, parasita, sem uma profissão, sem ganhar a vida com o meu trabalho. Queria trabalhar durante a semana e dar assistência à paróquia aos sábados e domingos - o que não me foi permitido". (Pe. Mauro). "Eu não poderia ficar sem a Igreja e sem a minha família. Foi assim que pensei e procurei alguém que já tivesse afinidade. "uma companheira e auxiliar que me fosse semelhante (Gên. 12,18)". "A ordenação é um grande bem que recebi da Igreja, junto com o Batismo e a fé. Estou feliz com isso e não renuncio à ordem que recebi. Com a falta de padres, pode ser que a Igreja em breve ordene homens casados e aceite ou peça o serviço de padres casados, aproveitando tantos elementos válidos; ora, por que renunciar a algo que poderei assumir depois?" (Pe. Mauro). Essas citações foram extraídas do comunicado feito aos amigos por Pe. Mauro e Regina em abril de1973.


]


quarta-feira, 13 de fevereiro de 2008

VISTA AÉREA PARCIAL DE RECREIO NO FINAL DOS ANOS SESSENTA


Fotografia tirada no Governo Municipal do Prefeito Geraldo Damasceno de Almeida (Chumbinho).
Até hoje Recreio não tem cartões postais para que os visitantes possam levar como recordação. Defendo a criação da Secretaria da Cultura e a escolha de um(a) secretário(a) comprometido com a vida cultural de nossa cidade.