Total de visualizações de página

PLACA NA ESTRADA DE CONCEIÇÃO DA BOA VISTA NAS PROXIMIDADES DO COLINA CLUBE

PLACA  NA ESTRADA DE CONCEIÇÃO DA BOA VISTA NAS PROXIMIDADES DO COLINA CLUBE

sábado, 30 de abril de 2011

DIA DO FERROVIÁRIO - 30 DE ABRIL









Homenagem do blog a todos os ferroviários do Brasil pelo dia 30 de abril e especialmente aos da EF Leopoldina de Recreio-MG

Como filho e de família de ferroviários, minhas veias são como trilhos por onde aindapassam muitos trens. O trem corre nas minhas veias, faz parte da minha vida, da minha história e das minhas lembranças. Ainda guardo na memória o cheiro do produto que minha mãe polia os botões de metal do dalmo que meu pai usava. Quantas viagens fiz de trem! Era uma delícia proteger-se das fagulhas expelidas pela Maria Fumaça. Um dia um "Guarda-chaves", ferroviário encarregado das manobras, acionou o trilho errado e o trem nunca mais voltou. Hoje nossa estação, cenário de muitas histórias, virou Centro Cultural.
PARABÉNS FERROVIÁRIOS! VOCÊS CONTRIBUIRAM E CONTRIBUEM PARA O DESENVOLVIMENTO DO BRASIL. QUANTOS SERVIÇOS PRESTADOS À POPULAÇÃO! QUEM SABE UM DIA O ERRO HISTÓRICO SEJA CORRIGIDO E A FERROVIA OCUPE SEU LUGAR DE PRINCIPAL MEIO DE TRANSPORTE DO BRASIL.

"Coisa esquisita é o trem
Quando sai de uma cidade
Prá uns ele leva alegria
Prá outros deixa saudade".
(Luiz Vieira)

APITA, LEOPOLDINA
(Amélia Marcionila)
Prepara a locomotiva
Chama o maquinista
Acorda o foguista
Bota lenha na fornalha
Apressa o agente
É hora da partida!
Corre e apita, Leopoldina,
Embarca o Vigário
Embarca o Barão
Embarca Sinhá-Moça
Que vai p'ra capital
Estudar e se formar!
Corre, corre e apita!
Ganha a vargem grande
Corta a floresta
Passa o capoeirão
Atravessa o povoado
Chega na estação!
Corre e apita, Leopoldina,
Passa as belezas das matas
Passa o Rio Paraíba,
Faz com garbo a Volta Grande
Chega ansioso na Estrela Dalva,
Desponta o Caiapó,
Alcança o Pirapetinga!
Volta pra Vista Alegre
Surge ativa, a Leopoldina,
Penetra em Cataguases, ligeiro,
Manobra, recobra forças,
Vaza Mundo!
Vaza Mundo!
Vaza Mundo!
O vapor vai passando!
O vapor vai levando!
O vapor vem trazendo!
O vapor vem chegando!
Desperta, Além Paraíba,
É o comércio que se agita,
É a Zona da Mata que grita,
É o progresso, é o café, é a vida!
Corre e apita Leopoldina,
Solta a fumaça
Serpenteia no trilho
Engole a distância...
Vaza Mundo!
Vaza Mundo!
Vaza Mundo!
(Poesia publicada no livro A Estrada de Ferro Leopoldina de José Mauro Pires Silveira)

MARIA FUMAÇA
Maria da Graça Almeida

Vem Maria,
vem fumaça,
vem fungando,
vem com graça,
é gulosa
e tem fome
muita lenha
sempre come.
Resfolega,
pelos morros,
solta nuvens
por pirraça,
deixa rastro
no caminho,
faz ruído
quando passa.
Já de longe
alto apita,
rebolando,
chega aflita,
diz que está
em sua hora,
diz que nunca
se demora,
diz que chega
tão depressa
e com pressa
vai-se embora!
Todo dia
eu espero
que na curva
apareça,
só desejo
que a fumaça
o meu céu
não escureça!
Maria Fumaça
é trem ou Maria?
Menino ou mulher ?
Responda-me agora
ou quando puder.
Chiii...piuuiiiiii...ufffff!


Do livro: Olhos espertos
de Maria da Graça Almeida




FOTOGRAFIAS: A Baronesa, primeira locomotiva do Brasil, Estação Ferroviária de Recreio, Estação Ferroviária de Recreio desativada, Barracão (Oficina) de Recreio e meu pai Armando Mercadante, chefe da estação de Recreio, com seu uniforme.

CURIOSIDADES:
No dia 30 de abril de 1854 foi inaugurada a primeira linha ferroviária no Brasil com a presença do Imperador D. Pedro II e a Imperatriz Tereza Cristina.
O dia do ferroviário foi instituído pela Lei Federal 2061 de 13 de abril de 1954.

sexta-feira, 29 de abril de 2011

CHICO ADÃO, FUZILEIROS NAVAIS E FANFARRA DO GINÁSIO DE RECREIO NOS TEMPOS NO OLAVO BILAC

video

Vendo o filme Fuzileiros do Amor com Mazzaropi, onde aparece um esnsaio da Banda dos Fuzileios,Navais do Rio de Janeiro. descobri onde Chico Adão, o nosso "General da Banda", aprendeu evoluções para nos ensinar levando em conta as limitações e o número reduzido de participantes da nossa fanfarra. Chico Adão era ex-Fuzileiro Naval, ferroviário, músico e aluno do Ginário de Recreio. Para os colegas de fanfarra um bom momento para matar a saudade dos memoráveis desfiles onde as evoluções faziam sucesso.

ULTIMOS DADOS SOBRE A DENGUE EM RECREIO-MG


Segundo divulgado pelo MGTV primeira edição de 29 de abril de 2011, Recreio ocupa o segundo lugar em Minas Gerais com múmeros de infectados, apesar do Dengômetro, ao lado do Bar Oriente, da Força Tarefa e outros procedimentos. Juiz de Fora registrou um óbito hoje de dengue hemorrágica. O Tipo 4 avança pelo país. SOS,SOS,SOS,SOS! Enquanto Recreio contabiliza 646 casos Juiz de Fora entra em pânico com 700.

quinta-feira, 28 de abril de 2011

ALAOR ROCHA PERES

video

Alaor, com seu jeito brincalhão, atua como guia turístico para os parentes de sua esposa Judite que vieram de Manhumirim para passar uns dias em Recreio-MG.
Alaor, ferroviário, falecido, filho do casal Arlindo Peres Martins e Anna Rocha Peres casou-se com Judite Cotrim e tiveram três filhos: Ana Cristina casada com Anderson residentes em Manumirim, Luciano casado com Wanderléia residentes em Manhumirim e Ana Cara falecida com menos de um ano de idade. Não conheceu seu neto Rafael filho do Luciano que irá completar dois anos de idade.
Filmagem feita na estação ferroviária de Recreio provavelmente em 1990.

quarta-feira, 27 de abril de 2011

FUNDAÇÃO DO GINASIO DE RECREIO











Educação é o processo que desenvolve a cidadania fundamentando e ampliando a vivência democrática imprescindíveis num país tão cheio de contrastes, ambigüidades e contradições como o nosso.

Ter acesso à educação, um direito de todos e dever do Estado, sempre foi um processo marcado por lutas e reviravoltas de todo tipo ao longo da história brasileira.

Quem conhece nossa história da educação sabe o quanto as forças conservadoras lutaram para evitar a democratização do ensino. Em 1932 foi publicado o Manifesto dos Pioneiros da Educação Nova. Eram intelectuais que combatiam a educação elitista e defendiam uma escola pública de qualidade, gratuita e leiga. Acreditavam que somente através da educação o país poderia atingir o desenvolvimento. Os participantes desse movimento ficaram conhecidos como Os Escolanovistas, cuja bandeira era “educação para todos”.

Os ventos da democratização do ensino chegaram a Recreio quando em 24 de junho de 1956 um importante acontecimento sócio-cultural-educacional aconteceu em nossa terra: foi criado o Ginásio de Recreio tendo como mantenedora a Fundação Recreiense de Ensino. Em 10 de novembro de 1957 seu Estatuto foi registrado no Cartório de Registro de Títulos e Documentos e das Pessoas Jurídicas da Comarca de Leopoldina, MG,. O Artigo 48 do Estatuto assim prescrevia: “A primeira Diretoria da Fundação Recreiense de Ensino fica assim constituída:

Conselho Curador: José Domingues Vieira, David Vieira Germelo, Dr. Geraldo Damasceno de Almeida, Edésio Duarte Andries e Antônio Magalhães.

Suplentes: João Guilherme Ferreira, José Pereira Paz, José de Castro Lacerda, Américo Simão e Amim Abraão Merij.

Presidente: Dr. José Antonio Monteiro de Barros

Conselho Diretor:

Vice-Presidente: Dr. Darcy Nunes de Miranda. Vogal: Estácio Robert Cunha. Suplentes de Vogal: Francisco Magalhães e Paulo Batista de Paula,

Diretor Executivo e Diretor do Curso Secundário: Pe. Celso Campos Sales. Assessor Técnico: Prof. João Barroso Pereira Junior (funcionário do MEC)” .

A Diretoria preocupada em cobrar mensalidades compatíveis com a situação dos alunos tomou conhecimento da existência de uma instituição que mantinha ginásios para alunos pobres: Campanha Nacional de Educandários Gratuitos (CNEG). A CNEG foi criada em 1943, no Recife, por um grupo de estudantes universitários liderados por Felipe Tiago Gomes, que constatando ser a escola um privilégio de ricos, resolveu oferecer uma escola gratuita para os pobres, nascendo assim a primeira unidade do sistema o “Ginásio Castro Alves”. Os alunos de pés descalços, roupas rasgadas, mas sedentos de saber, recebiam os ensinamentos dos seus primeiros mestres que, voluntariamente, sem nada receber dividiam o que sabiam com quem tinha vontade de aprender. No início da década de setenta mudou o nome para CNEC (Campanha Nacional de Escolas da Comunidade).

A Fundação Recreiense de Ensino fez contato com representantes dessa instituição sobre a possibilidade de encampar o Ginásio de Recreio. O sinal verde foi dado. A primeira providência seria fundar o Setor Local o que aconteceu em 27 de setembro de 1959. Em 10 de outubro do mesmo ano a Diretoria da Fundação Recreiense de Ensino aprovou a encampação. Em 22 de novembro de 1960, a Diretoria Estadual da CNEG, com sede em Belo Horizonte, deu parecer favorável e em 30 de novembro do mesmo ano a Diretoria Nacional, com sede no Distrito Federal, ratificou o citado parecer.

O início das aulas aconteceu no Grupo Escolar “Olavo Bilac”. Foi um dos maiores acontecimentos da história da nossa cidade. É sempre bom ressaltar, para entender a importância desse fato, que a democratização de oportunidades para as classes menos favorecidas encontrava e ainda encontra sérios limites diante da organização da sociedade brasileira em bases desiguais. Antes da criação do nosso ginásio poucas famílias recreienses possuíam condições de manter seus filhos em outras cidades para prosseguirem os estudos. A maioria contentava-se com o diploma de conclusão do Curso Primário.

É importante destacar que o terreno doado a FRE para a construção da sede do ginásio foi também transferido para a CNEG onde foi construído o Colégio de Recreio que já não existe mais.

O primeiro Setor Local, eleito em 27 de setembro de 1959, ficou assim constituído:

PRESIDENTE: Miguel Andries

VICE-PRESIDENTE: José Ribeiro Junqueira

1º SECRETÁRIO: Edesio Fernandes Duarte Andries

2º SECRETÁRIO: Aristides Dorigo

1º TESOUREIRO: Sebastião Camilo de Araújo

2º TESOUREIRO: Américo Simão

CONSELHO FISCAL: Silvio Rossignoli, Hélio Ferreira Botelho e Manoel Almeida Ferreira.

SUPLENTES: Antonio Mariano do Bem, João Guilherme Ferreira e João Henriques.

OBS: chapa apresentada pelo Sr. Amim Abrão Merij.

A sessão solene de criação do Ginásio de Recreio foi realizada no dia 24 de junho de 1956 no GE Olavo Bilac, tendo o Prof. João Batista de Castro Alvim proferido a aula inaugural. Estavam presentes membros da comunidade, professores, diretores, autoridades e os primeiros alunos que faziam o Curso de Admissão ao Ginásio.

Passando a pertencer a CNEG o uniforme caque com gravata vinho muda para o uniforme padrão da CNEG: camisa branca, com o escudo da instituição. e calça e saia azul marinho

Em 1967 o Ginásio de Recreio deixa o GE Olavo Bilac e se transfere para o prédio próprio passando a denominar-se Colégio de Recreio em virtude da criação dos cursos Normal e Técnico em Contabilidade.

Durante o período no Olavo Bilac muitas atividades marcaram época: o Grêmio Literário , a eleição anual da Rainha dos Estudantes onde vencia quem vendia mais votos, a Fanfarra sob o comando do competente Chico Adão, o intercâmbio entre cidades através de excursões de ida e volta, o grupo de teatro que fez sucesso com a peça Quem casa quer casa e a participação nas paradas de Sete de Setembro com seu uniforme de gala.

PRIMEIRA DIRETORIA

DIRETOR: Pe. Celso Campos Sales

VICE-DIRETOR: José Marcos da Silva Britto

PRIMEIROS PROFESSORES

David Vieira Germelo (Inglês), Fernando Donabella Massa (Desenho), Jacy de Paula Lacerda (Latim), José Marcos da Silva Britto (Matemática), Wadson Soares Brum (Geografia), Lia Albuquerque Monteiro (Francês), Maria de Castro Gama Lima, Nice Damasceno Muniz (Geografia), Pe. Celso Campos Sales (Religião), Pedro Augusto Martins (História), Cacilda Gesualdo Perry (Português), Iria Guilherme Ferreira (Trabalhos Manuais), Ivone Henriques da Silva (Português) e Pastor João Wendling Duarte (História).

PRIMEIROS ALUNOS DO CURSO DE ADMISSÃO - 1956

Jorge Cunto, Joaquim Márcio Soares de Almeida, Luiz Carlos Ferreira Dorigo, Paulo Sérgio Mourão Andries, Egisberto Ferreira Dorigo, Antonio Magno Soares de Almeida, Elcio Meira, José Antonio (Macuco), Danilo Albuquerque, Darci Moraes, Frederico Mourão Andries, José Gomes Coimbra, Edelmo Ferreira, Luiza, Maria Regina Albuquerque, Terezinha Helena de Castro Santos, Samira Saad, Maria Auxiliadora Chagas, Zilene Dutra Navarro, Silvia Simão da Silva, Sônia Simão da Silva, Jane Magalhães, Maria Elvira Britto, Aparecida Britto, Elcio Soares Brum e Nilza Moreira.

PRIMEIROS CONCLUINTES DO CURSO GINASIAL - 1960

Ana Maria Gesualdi Reiff, Antonio Magno Soares de Almeida, Aracy Ferreira de Castro, Frederico Antonio Mourão Andries, Hudson Cunha, Joaquim Márcio Soares de Almeida, José Gomes Coimbra, Jurandy Uffer de Freitas, Luiz Carlos Ferreira Dorigo, Maria Auxiliadora Chagas, Maria Regina Albuquerque, Nilza Moreira, Paulo Sérgio Mourão Andries, Rafael de Castro Lima, Ronaldo Fernandes Cardoso, Sebastião A. Nunes Pandeló, Silvia Simão da Silva, Sônia Simão da Silva, Terezinha Helena de Castro Santos, Welber Paulo Brum, Wilson Moreira e Zima de Paula.


segunda-feira, 25 de abril de 2011

BENEDITO ÁLVARO LIMA (BENÉ)

video

Filmagem realizada na Estação Ferroviária de Recreio.

sexta-feira, 22 de abril de 2011

FAMILIA PERES: FILIAL SÃO JOÃO NEPOMUCENO




















































Aniversario do Lissinho em 15 de fevereiro de 1993 em Juiz de Fora.



terça-feira, 19 de abril de 2011

COROAÇÃO DA MINHA FILHA MARIA FERNANDA

Mamãe abraçada com sua neta após a coroação realizada em Recreio-MG, na Igreja Matriz Jesus Menino Deus no dia 14 de setembro de 1986.

EDUARDO E GLENDA E SEUS DOIS FILHOS CACÁ E JANJÃO

No colo:Janjão
Sentados: Cacá e Carlos Alexandre (Têty)

OS PERIGOS DA SUPERPROTEÇÃO


Lenira Rocha Peres Mercadante
(Psicóloga)

"Se você não consegue lidar com os limites dos outros,
é porque você não consegue lidar com os seus limites.
A rejeição é um processo de ver-se. Toda vez que eu
quero buscar no outro o que me falta, eu o torno um
objeto. Eu posso até admirar no outro o que eu não
tenho em mim, mas eu não tenho o direito de fazer
do outro uma representação daquilo que me falta.
Isso não é amor, isso é coisa de criança. Amar alguém
é viver o exercício constante, de não querer fazer do outro
o que a gente gostaria que ele fosse.
A experiência de amar e ser amado é acima de tudo a experiência do respeito.(...)".
(Pe. Fabio de Melo)

Assistindo alguns capítulos de Insensato Coração que é levado ao ar pela Globo, percebi o importante papel vivido por Wanda de mãe superprotetora. A superproteção é um tema de grande relevância para os pais na educação dos filhos. É delicado e difícil, principalmente neste mundo tão conturbado onde a violência e os usuários de drogas aumentam progressivamente. O que me assusta é que crianças, adolescentes e jovens precisam de modelos positivos para serem imitados.
Wanda tem dois filhos: Pedro que é bom e Léo desajustado. Ela criou Léo levada por pensamentos, sentimentos e atitudes equivocadas. Superprotegeu o filho esquecendo que cuidar demais estraga. Tudo em excesso faz mal. Deu para perceber que ela passou a vida superprotegendo Léo. A dosagem de amor, carinho, proteção e ajuda foi exagerada acabando por sufocar o filho tornando-o uma pessoa desajustada, fria e capaz de qualquer maldade. É bom lembrar que a superproteção também é uma forma de rejeição na medida em que você anula a personalidade do filho. Em casos assim cria-se uma criança, um jovem que se transforma num adulto dependente e sem iniciativa porque a mãe fez tudo por ele ou então uma pessoa revoltada.
Crianças de zero a seis anos superprotegidas tendem a apresentar timidez e tornarem-se egoístas. De sete anos até a adolescência, podem surgir agressividade e dificuldade em demonstrar sentimentos. De dezoito anos em diante, muita insegurança, egoísmo e dificuldade de relacionamento.
Existem duas formas de superproteção materna: a simbiótica, quando mãe e filho não conseguem se afastar um do outro e parasitária, quando a mãe não desgruda do filho.
A criança testa os pais para ver até onde pode ir. Se não for estabelecido limites, ela sente -se dona da situação apelando depois para a chantagem emocional, mentira ou agressividade.
Os pais devem dizer não, quando necessário. A formação do caráter é fundamental para preparar o filho para a vida social, emocional e profissional. Princípios morais são a base do caráter. Segundo especialistas os pais devem impor limites, colocar regras e dar bons exemplos, agindo com firmeza e carinho.
É na infância que a personalidade da criança é formada. O que é ensinado e vivenciado pela criança é de grande importância para o seu desenvolvimento.
Um testemunho muito significativo foi dado, numa entrevista, pela Dona Edi, mãe do grande terno italiano André Bocelli que ficou cego na infância em consequência de glaucoma. Graças à maneira como ela o educou, estudou música e fez advocacia e doutorado em Direito e hoje é um cantor consagrado internacionalmente.
Alguns trechos da entrevista são exemplos para a educação dos filhos. É uma história comovente pela dor de descobrir a doença do filho e a coragem com que ela lhe ensinou a superar sua deficiência. "Eu soube cedo que meu filho ia perder a visão. Para lhe ajudar a tornar-se um homem, eu esqueci a piedade e para me dar força havia uma fé muito forte. (...)". "Um tempo atrás eu encontrei uma frase que me fez entender que eu tinha razão quando li em um livro de Freud: "Se um pái ama seu filho, tem de criar dificuldade na vida dele". Eu realmente fiz bem então, em não poupar Andréa das lágrimas ou da dor".
Edi Bocelli nos conta que a determinação dela estava quase transtornada. "Eu decidi que se quisesse que meu filho se tornasse um homem, não havia outra alternativa: não deveria ter piedade. Eu tive que achar tal força dentro de mim, era terrível porque era quase impossível não sentir dor na frente daquele menino vivaz como prata luminosa, com um olhar que ficava mais vazio a cada dia. Com minhas lágrimas, eu o teria condenado a infelicidade. Eu teria feito dele uma vítima, e isso continuei repetindo para mim mesma: nenhuma piedade e nenhuma mentira". Esta era a receita da senhora Edi. "Em uma tarde em casa, em frente da janela ele me fez uma pergunta que era um pedido de alguma esperança: "quando eu estiver mais velho eu verei a casa de Poldo?". Você não verá, mas você verá outras coisas que nós não podemos ver. Nosso Deus nos dá roupas de acordo com o frio. Eu agradeço nosso Deus porque Andréa vive da mesma maneira na qual ele canta, com o coração aberto. Ao lado de nós há sempre um grande anjo da guarda, nossa grande fé. Certa vez numa peregrinação em Lourdes, Andréa entrou na gruta de Nossa Senhora com o padre, nosso amigo, o mesmo que o casou depois. Só recentemente ele me contou o diálogo entre eles. Andréa confidenciou para o padre: "não, eu não pedi isso. Você não pediu para sua visão ser restabelecida? Então o que você pediu? André respondeu: serenidade, Sim. Seguramente Nossa Senhora deu este presente para meu filho e agora ele dá este presente aos outros".
Conclusão: temos que criar nossos filhos para serem independentes, livres e capazes de tomar decisões e enfrentar os problemas do dia-a-dia. Colocar o filho na redoma é anular sua personalidade e torná-lo incapaz de resolver os problemas da vida. Superproteger é uma atitude doentia que nega ao outro o direito de ser ele mesmo. É querer viver a vida do filho.
Nota: Artigo publicado no fanzine Mar de Morros - Edição 112 de 2011)

segunda-feira, 11 de abril de 2011

CONSTRUÇÃO DO PRÉDIO DA CNEC-RECREIO-MG







Construção do prédio do COLÉGIO DE RECREIO (antes denominado Ginásio de Recreio quando funcionava do Grupo Escolar "Olavo Bilac"). A contrução teve inicio em 1965 e o colégio foi inaugurado em 1967. Na reunião da Diretoria do Setor Local da CNEG , de 24 de março de 1965, para a escolha dos membros da Comissão de Fiscalização das obras da construção do prédio próprio, foram escolhidos: Osmar Meira, casado, construtor, Francisco Magalhães, casado, comerciante e José Guilherme Mourão Andries, casado, mecânico, serralheiro. Estavam presentes na reunião: Darcy Cardoso Dias, Miguel Andries, Armando Mercadante, Odilon Albuquerque, Nemo Ribeiro de Miranda, José Fernandes de Araújo, Francisco Fernances Vicente, José Guilherme Mourão Andries, Francisco Magalhães, Osmar Meira e Sebastião Antonio Duarte.

TEMPOS DA RADIO NACIONAL DO RIO DE JANEIRO

video

Fonte: Blog Cantos & Encantos - História do Rádio - Radionauta Fábio Pirajá
Nota do blog: O programa Repórter Esso, para tristeza de muitos, terminou suas transmissões no dia 31 de dezembro de 1968, na Rádio Globo do Rio de Janeiro, e teve a locução de Roberto Figueiredo, que, no final da transmissão, ficou bastante emocionado, a ponto de ter sido substituído, por alguns instantes, por Heron Domingues (primeiro audio).

quarta-feira, 6 de abril de 2011

VÍDEO: VIOLÊNCIA COMUNIDADE ESCOLA

video

Fonte: http://cantoencanto.blogspot.com
Link: Domínio Público
Vídeo produzido pelo Ministério da Educação

VÍDEO: IDOSOS

video

Fonte: http://cantoencanto.blogspot.com
link:Domínio Público
Vídeo: Idosos. Produzido pelo Ministério da Educação.

Nota do blog: vale a pena acessar o blog cantoencanto que é riquissimo em informações, documentários e músicas. O link Domínio Público tem clássicos da literatura brasileira e portuguesa, músicas, videos e textos abrangendo vários campos do conhecimento. Para professores, alunos, estudiosos é uma ferramenta extraordinária.
Recomendo também o trabalho da Psicóloga Lenira Rocha Peres Mercadante, postado neste blog, Contribuição da Psicologia para um envelhecimento saudável.

FOTOS PIQUENIQUE NA CACHOEIRA DOS MONOS































ACERVO: Aristides Dorigo
Detalhe importante: caminhão do Sr. Hermes.

terça-feira, 5 de abril de 2011

ZÉ PRETINHO GOLEIRO DO RECREIO ESPORTE CLUBE


Jogo do Recreio E.C. contra o Astolfo Dutra realizado na "cancha da linha férrea" (hoje campo do Ideal) em 1953.
Acervo: Aristides Dorigo.

FAMÍLIA MARQUES



segunda-feira, 4 de abril de 2011

PIQUENIQUE NA CACHOEIRA DOS MONOS EM RECREIO-MG

video

E a turma resolveu fazer um piquenique na cachoeira dos Monos em 1953. Alvaro Lima, Nenem Loçasso, Dorigo e filhos, Hermes, China e outras personalidades da nossa Recreio. Foi um verdadeiro Clube do Bolinha. Teve até luta de box.
Como automóvel naqueles tempos era raro, iam todos na carroceria de caminhão. Neste piquenique foi usado o caminhão do Hermes.
Acervo: Aristide Dorigo (cópia de filme em 16mm convertido para VCR e, posteriormente, DVD por Pedro Dorigo).

CHUMBINHO (GERALDO DAMASCENO DE ALMEIDA)

Recreio ano de 1953 acontece a inauguração do campo do Botafogo Esporte Clube. Enquanto Sr. Dorigo discursa, Chumbinho, com óculos escuros, atentamente fuma seu cigarro.
Acervo: Aristides Dorigo